Reunião ordinária do Conseg volta a ser realizada na Câmara Municipal de Arujá

A Câmara Municipal de Arujá voltou a sediar a reunião ordinária do Conseg. No mês passado o encontro aconteceu no CEU Cerejeiras. Benedito Souza Ferreira, o Dito Maguila, presidiu os trabalhos e teve ao seu lado a presença do comandante da PM de Arujá capitão Pelegrine, do secretário de Segurança local Washington Adami, do escrivão de Polícia Civil André e dos vereadores Renan de Arujá (PODE), Vinícius Pateta (Rede), Uelton Almeida e Luiz Fernando de Almeida, ambos do PSDB.
Dito Maguila abriu espaço para que um morador do Jacarandás falasse a respeito de um projeto particular sobre segurança no bairro. Vice-presidente do Conseg de Arujá e morador do Jacarandás, o senhor Natal contestou a legalidade desse projeto e disse não concordar. Compartilhou do mesmo raciocínio o vereador Renan, ressaltando que “na condição de representante do povo não podemos participar de um projeto particular, nós somos pessoas públicas e precisamos atender a toda a comunidade de uma forma geral”.
Ao abrir a palavra para os presentes, o senhor Natal foi o primeiro a se manifestar. E novamente cobrou uma solução para o velho e conhecido problema da falta de iluminação pública. Ao que parece, essa novela está longe de ter um final positivo. Logo em seguida uma moradora da Vila Pilar pediu a palavra. Ela disse ter filhos na escola e se mostrou bastante preocupada com essa onda recente de atentados contra alunos. A moradora questionou a Guarda Civil Municipal sobre rondas afirmando não ver viaturas circulando pelas escolas do município.
“Não vamos fechar os olhos”
Capitão Pelegrine respondeu que a PM está fazendo rondas em todas as escolas de Arujá, sejam elas municipais ou estaduais. “Nós não vamos fechar os olhos pra nada. Por favor, caso desconfiem de alguma coisa podem ligar para o 190 (PM) ou para o 153 (GCM)”. O escrivão André completou que “é preciso manter a calma nessa hora e não espalhar notícias falsas pelas redes sociais, o que causa pânico”.
Representante o Poder Executivo o secretário de Segurança Washington Adami comentou que “não adianta colocar um agente da GCM em cada escola do município, pois essa atitude não é efetiva. O ideal é em duplas, porém isso requer muitos recursos tanto humano quanto financeiro”. E completou afirmando que “a ideia é de que as câmeras instaladas nas escolas transmitam as imagens para a nossa Central de Monitoramento, o que aconteceu em Blumenau-SC foi pontual, mas acendeu um sinal de alerta”.

Desabafo
Um frequentador assíduo das reuniões do Conseg e morado do Copaco fez um verdadeiro desabafo. Disse não ver viaturas da PM fazendo rondas no bairro, apenas da GCM. Segundo ele, os vagabundos andam pra cima e pra baixo de motos novas e com “encomendas suspeitas”. Fazem um barulho ensurdecedor acelerando e deixando todo mundo doido. Roubos são frequentes, menores frequentam bailes funks e os pais têm parcela de culpa, pois não poderiam permitir que menores de idade frequentem esse tipo de ambiente. “Vagabundo tem medo da polícia e confesso que estou achando o serviço da PM muito fraco no nosso bairro. Eu já sofri ameaças na porta da minha casa e estou pensando seriamente em vender a minha chácara e procurar um lugar mais seguro para a minha família”.
Um morador do Jacarandás agradeceu ao secretário Washington Adami por ter resolvido um determinado problema, mas cobrou a instalação de mais câmeras em pontos estratégicos da cidade. “Apenas 100 câmeras não irá resolver o nosso problema, precisamos de muito mais. Também precisamos de atenção especial para os corredores de ônibus, as vias estão muito esburacadas”.
Um munícipe que reside no Sítio dos Fernandes se pronunciou a respeito da reunião realizada em março último no CEU Cerejeiras. Na opinião dele o encontro foi um sucesso e entrou pra história da região, não só pela presença do público em grande número, mas também pelo alto nível das discussões. “Muita coisa já foi feita desde aquela reunião, mas ainda temos insegurança, principalmente porque o patrulhamento de um modo geral ainda não é adequado para uma região que contempla cinco escolas”.
O vereador Vinícius Pateta ocupou o lugar do companheiro Renan na mesa de trabalhos, que teve de se ausentar antes do final da reunião. Pateta comentou que dentro de mais ou menos uns seis meses a GCM irá contar com mais 23 agentes e foi dele uma emenda destinada para a capacitação desses novos profissionais.
Por fim falou o capitão Pelegrine. “Pelo adiantado do horário confesso que já estou meio que sem raciocínio. Mas em resposta às reclamações dos moradores do Sítio dos Fernandes e região prometo trazer as respostas na próxima reunião”. Vale lembrar que o capitão Pelegrine não participou da reunião no CEU Cerejeiras em março último. Por fim, voltou a clamar para que a população não deixe de registrar os Boletins de Ocorrência e comentou que “existe muita subnotificação, ou seja, os crimes acontecem e ninguém registra, precisamos mudar isso o quanto antes. A PM trabalha em cima de números e os quais são extraídos dos Boletins de Ocorrência”, concluiu.

Compartilhar

Mais notícias

Secretaria da Mulher, Direitos Humanos e Cidadania ganha nova sede em Itaquá

A Secretaria da Mulher, Direitos Humanos e Cidadania de Itaquaquecetuba apresentou um combo de novidades na última quinta-feira (15). Além […]

João Luiz reforça ações do comércio e políticas públicas de saúde, educação e esporte

O vereador João Luiz (PSD) optou por investir os recursos de suas emendas impositivas no incremento a políticas públicas já […]

Secretaria de Serviços Urbanos de Itaquá reforça ações de limpeza de rios e córregos

A Secretaria de Serviços Urbanos de Itaquaquecetuba está reforçando os serviços de limpeza de rios e córregos que cortam a […]

Apae de Arujá recebe Fiat Strada 0Km

A Prefeitura de Arujá, representada pelo prefeito Luis Camargo, juntamente com a secretária municipal Marina Bernardo, da Assistência Social, e […]