Autoridades e população se reúnem para discutir Segurança Pública durante reunião do Conseg

Benedito Souza Ferreira, o Dito Maguila, conduziu mais uma reunião ordinária do Conseg, a qual aconteceu na noite da útima terça-feira, 14, nas dependências da sala de reunião da Câmara Municipal de Arujá. O Capitão Anderson Reis Pelegrine representou a Polícia Militar, o investigador Rodrigo de Medeiros compareceu em nome da Polícia Civil, o GCM José Carlos da Silva e secretário adjunto de Segurança Pública de Arujá representou o Executivo local e o Dr. Elói Rodrigues de Ávila a OAB Arujá. Também marcaram presença representantes da Aconda – Associação dos Condomínios Horizontais de Arujá e Região, no caso os senhores Jéferson Bauer e Luiz Cunha.
Maguila abriu os trabalhos falando sobre os índices de criminalidade e 2022 e ao mesmo tempo fazendo uma cobrança para que as autoridades tentem interver junto ao Governo do Estado/Secretaria de Segurança Pública no sentido de trazer mais delegados de polícia para Arujá. Maguila disse que em 2022 Arujá contava com três delegados e nesse ano só tem um. E uma cidade com quase 100 mil habitantes requer muito mais profissionais para dar conta da demanda.

Os “apelos” da população
Vice-presidente do Conseg, o senhor Natal primeiramente agradeceu a Administração Municipal por alguma obras referente monitoramento feitas no bairro Jacarandás. Mas não deixou de cobrar novamente melhorias na iluminação pública, uma velha novela que se arrasta há vários anos. “A Elektro precisa nos dar uma solução, continuamos às escuras”, reclamou. Ele também cobrou a Administração Municipal sobre Muralha Eletrônica e a PM para que realize blitz no bairro. Maguila aproveitou para responder ao senhor Natal que o prefeito Dr. Luís Camargo pediu um prazo até abril próximo para resolver algumas reivindicações mais pertinentes.
Um morador da Chácaras Copaco e assíduo frequentador das reuniões do Conseg voltou a reclamar sobre falta de iluminação pública, matagal nas ruas e falta de representantes do Legislativo para brigar pelos direitos da população no bairro. Também “implorou” para que as entidades de Segurança do município façam mais rondas. Segundo ele, quando chega sexta-feira a baderna já começa e se estende durante todo o final de semana com pessoas fazendo muito barulho sobre motos, consumo de drogas entre outros atos ilícitos.
Dois moradores do Cerejeiras também demonstraram indignação com a falta de descaso das autoridades naquele bairro. Segundo eles, a segurança não existe. Os arruaceiros tomam conta de uma determinada praça e obstruem a passagem de veículos, pois estacionam um caminhão para fechar a rua e ali acontece de tudo. “As motos incomodam com o barulho ensurdecedor, o consumo de drogas acontece a céu aberto e até sexo atrás do caminhão existe”, relatou um dos moradores. Outro munícipe ressaltou que é importante a população cobrar mais eficiência dos vereadores, os quais segundo ele só fazem blá blá blá e não resolvem nada. “São só promessas que nunca saem do papel”, revoltou-se.
Revolta também demonstrada por uma moradora do bairro Vila Arujá que praticamente implorou pelo amor de Deus para que as autoridades coloquem ao menos três bicos de luz na rua onde reside para amenizar a escuridão total. O filho dessa senhora foi mais além nas reclamações e relatou que casos de estupro e homicídio também já aconteceram no bairro por falta de segurança para a população. Diante dessa triste realidade um munícipe presente à reunião disse que era inaceitável uma senhora se deslocar da sua casa até a reunião para pedir três bicos de luz. “Isso é uma vergonha para as autoridades”, indignou-se.
As autoridades se manifestaram sobre as reclamações ouvidas naquele encontro. Os representantes da Aconda, por exemplo, colocaram a entidade à disposição para ajudar no que for possível para ajudar a minimizar os problemas com segurança pública no município. O secretário adjunto de Segurança Pública José Carlos da Silva reiterou que até abril desse ano a Administração Municipal irá colocar câmeras de monitoramento pelos quatro cantos da cidade e inaugurar uma Central de Monitoramento para trabalhar em conjunto com as polícias Civil e Militar e com a Guarda Civil Municipal.
O capitão Pelegrine informou que a PM recebeu uma viatura específica para fazer patrulha rural em bairros mais afastados do Centro da cidade, assim como recebeu também mais motos da ROCAM – Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas. “Agora somamos cinco motos com quatro em plena operação e uma de reserva”, disse Pelegrine. Ele ainda respondeu aos moradores do Cerejeiras que irá averiguar as denúncias apresentadas e tomar as medidas cabíveis.
A próxima reunião do Conseg será realizada dia 14 de março nas dependências do Complexo Esportivo Calango, localizado na região do Jardim Emília, Recanto Primavera e Cerejeiras. É importante que a população participe e faça valer os seus direitos de pleitear por uma cidade mais segura. Dito Maguila disse que vai convidar o prefeito Dr. Camargo entre outras autoridades para ouvir os reclamos da população, daí a importância do público marcar presença em grande número.

Compartilhar

Mais notícias

Esquema especial garante ônibus para atender usuários após os shows do Centro Residencial

Em sintonia com a programação especial de shows do Centro Residencial, na agenda de festividades do Aniversário de Arujá, a […]

Vereadores destinam 60% dos recursos das emendas impositivas à saúde

A saúde continua sendo prioridade para a Câmara de Arujá. Tanto que os vereadores destinaram 60% dos recursos das emendas […]

Prata da casa: atriz de Arujá integra elenco de musical estrelado por Miguel Falabella

A jovem atriz de Arujá, Mannu Silva, 12, está novamente integrando um grande musical. Desta vez ela está no elenco […]

Polo Arujá da Anhembi Morumbi é eleito Melhor Universidade EAD da cidade em 2023

Entre os dias 16 e 21 de novembro deste ano, uma pesquisa de opinião pública promovida pela agência de marketing […]