Usina móvel da reciclagem de resíduos da construção civil inicia operação na região

Teve início na última terça-feira (02) a operação da usina móvel de reciclagem de Resíduos da Construção Civil (RCC) do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê. O trabalho de recuperação dos resíduos para reaproveitamento dos materiais começou por Mogi das Cruzes com a reciclagem de cerca de 1.300 metros cúbicos de material que foi extraído após demolição de uma obra pública do município.
A gestão integrada dos resíduos da construção civil é uma das principais frentes de atuação do CONDEMAT.
“A gestão destes materiais é um grande desafio das prefeituras. Este trabalho de maneira integrada certamente nos garante maior efetividade no combate ao descarte irregular, na preservação do meio ambiente e bem-estar da população, além de proporcionar economia aos cofres públicos”, disse o presidente do CONDEMAT e prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha, que explicou que todo o material tratado nesta operação será aplicado em estradas vicinais do município.
De acordo com o Plano de Resíduos Sólidos do Estado (2010), estima-se que juntos, os municípios que formam o consórcio, geram mais de 36 mil toneladas de RCC por dia. Estes resíduos são provenientes de construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil.
Com o início da operação, em breve a usina atenderá, de forma itinerante, aos municípios de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Igaratá, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Branca e Santa Isabel, que ainda não possuem o serviço, proporcionando o tratamento e destinação correta dos materiais.
Em paralelo, as prefeituras estão trabalhando na ampliação dos ecopontos para que a população possa descartar estes resíduos de maneira adequada, de modo que estes materiais também possam ser reciclados e reutilizados em obras dos municípios.

Usina móvel de RCC
O CONDEMAT foi o primeiro consórcio do Estado a ser contemplado com a usina móvel de reciclagem de resíduos da construção civil. O investimento, de cerca de R$ 3,2 milhões, foi viabilizado por meio do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição (FECOP).
O equipamento conjuga um caminhão tipo cavalo mecânico a um móvel de reciclagem capaz de triturar de 80 a 100 toneladas por hora. Além disso, suas laterais podem ser transformadas em tela de cinema, para exibição de filmes e oficinas de educação ambiental para os alunos da rede pública, além da prática da reciclagem.

Compartilhar

Mais notícias

Projeto de João Luiz que cria programa de apoio a pessoas com doença de Alzheimer e familiares é aprovado

A Câmara Municipal de Arujá aprovou em 2ª e definitiva votação, durante Sessão Extraordinária da última segunda-feira (03), o projeto […]

Semana Pet: Arujá realiza ‘Cãominhada’ neste domingo

A partir das 8h deste domingo, 25, proprietários de cãezinhos poderão participar da Cãominhada. A ação faz parte da Semana […]

Fundo Social promove café especial em comemoração ao Dia da Mulher

Olhares atentos, sorrisos nos lábios, cada qual com sua beleza única e sua história de vida, repleta de desafios e […]

CEO da Yellow Imóveis recebe moção de parabenização da Câmara de Arujá

Com a Casa de Leis lotada, a empresária Paula Fernanda, CEO da Yellow Imóveis, recebeu na última segunda-feira (8), a […]